Mitos e verdades sobre as datas de validade dos medicamentos e cosméticos

A BBC divulgou uma lista de mitos e verdades sobre as datas de validade dos medicamento e dos cosméticos.

Confere aqui os mitos e as verdades:

1) O prazo de validade é uma estratégia comercial de laboratórios para que compremos mais

A legislação de todos os países exige que os fármacos comercializados tenham um prazo de validade. O cálculo é feito após estudos científicos exaustivos. Nos Estados Unidos, por exemplo, o procedimento existe desde 1979.

“Há alguns anos, a Organização Mundial da Saúde decidiu que os prazos de validade não deveriam superar cinco anos”, explica à BBC Mundo, José Ramón Azanza, diretor de farmacologia da Clínica Universidad de Navarra, na Espanha.

Segundo ele, o mais comum é a data de vencimento de dois anos.

2) Se tomo um comprimido fora de validade, posso passar mal

O que acontece a um medicamento fora do prazo de validade?

“Normalmente nada”, diz Azanza. “Se alguém toma um remédio depois do vencimento, nada vai acontecer. São raríssimos os remédios que podem produzir efeitos tóxicos em pacientes após a data de validade expirar”.

Mas tampouco o remédio poderá surtir efeito ─ é uma questão muito mais de eficácia de que tolerância.

3) Aspirinas fora de validade não fazem mal

Um dia não é a mesma coisa que seis meses.

Mas de acordo com Azanza, a aspirina não deve ser utilizada muito tempo depois da data de validade porque a degradação do princípio ativo da aspirina, o ácido acetilsalicílico, forma outra substância, o salicilato, que é abrasivo e não deve ser consumido por via oral.

“Não há problema em consumir uma aspirina poucos dias depois da validade, mas em seis meses a quantidade de salicilato contida no comprimido é suficientemente alta para ser tóxica”, explica.

4) Um medicamento pode perder a sua eficácia antes da data de validade

“Remédios contêm substâncias químicas que estáveis e instáveis, dependendo de sua composição, e do meio em que se encontram”, diz Azanza.

Fatores como humidade, temperatura e a incidência de luz solar podem reagir com essas substâncias e modificar suas estruturas químicas.

Os laboratórios garantem que um medicamento funcionará durante um determinado período de tempo, mas com um importante alerta: que seja armazenado nas devidas condições.

5) Vitaminas não necessitam dos mesmos cuidados

Precisam, sim. O princípio é o mesmo.

“Quando o laboratório vende um composto vitamínico, assegura que as vitaminas funcionarão como o esperado: desde o primeiro dia ao último”, explica o médico

Depois do prazo, pode haver alterações na fórmula e perda de efeito.

6) Um creme que não seja aberto funcionará depois da data de validade

“Um creme faz parte da legislação sobre produtos sanitários e tem uma data de validade que nos diz que, até àquele momento, terá as suas propriedades adequadas”, enfatiza Azanza.

“Mesmo que não seja aberto, o creme tem ingredientes que também contam com um prazo de validade médio”, explica o médico.

E como explicar a situação na qual, depois de muito tempo sem ser usado, um tubo de creme expele uma espécie de óleo amarelado quando o abrimos?

“É um sinal de que o creme ficou tanto tempo sem ser usado que a sua base ficou de um lado e o medicamento do outro. Pode ser usado? Talvez não vá causar danos, mas a sua eficácia poderá não ser a mesma”.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com

Partilha com as tuas amigas:

Mais dicas:

Comentários: