As crianças com carência afetiva mostram estes 3 comportamentos! O teu filho tem algum deles?

O amor permite que uma criança cresça saudável e segura, construindo uma personalidade sólida e aprendendo como se comportar em diferentes situações da vida. A afeição não deve ser confundida com as simples “manifestações de afeto”, isto é, com gestos visíveis e reconhecíveis mesmo no exterior e por um estranho.

A verdadeira afetividade é feita de um contato profundo não apenas físico, mas também emocional, de sinceridade e confiança. Para a criança, a família se torna a primeira abordagem com a sociedade que a aguarda. É em sua própria casa, de seus pais e parentes, que a criança aprenderá o que esperar do mundo exterior.

Quando surgem as deficiências emocionais, isso significa que a relação entre filhos e pais é má, e que esses últimos não sabem ou não podem dar o que as crianças realmente precisam.

A receita para uma infância feliz é basicamente bastante simples, desde que a criança seja alimentada, protegida e amada. No entanto, enquanto a falta de comida se manifesta claramente, a falta de carinho é muito mais difícil de detectar.

Aqui estão alguns sinais para prestar atenção.

1. A criança isola-se ou manifesta raiva.

A maneira como nos relacionamos com os outros diz muito sobre nós. Estabelecer relações maioritariamente conflitantes ou, ao contrário, evitá-las completamente é prova de que algo está errado. As “habilidades sociais” pobres causam interações disfuncionais porque não se sabe como agir, em outros casos, direta ou indiretamente, o isolamento. Pode parecer que esse tipo de criança tem pouco respeito pelas emoções dos outros quando, na realidade, simplesmente “não as entende”. O resultado será sentimentos de frustração e raiva.

2. A criança mostra insegurança.

Uma criança que não tem afeto suficiente em muitos casos cresce mais que tímida, insegura. Algumas estratégias comuns são evitar conflitos e situações difíceis, estar constantemente na defensiva ou ter uma obsessão pelo controle. Por outro lado, a insegurança pode se manifestar com ostentação de travessuras, muitas crianças podem adotar um comportamento que esconde a sua fragilidade por trás de uma falsa força.

3. A criança não consegue controlar as suas emoções.

Uma criança que cresceu em um ambiente emocional pobre terá dificuldade em reconhecer emoções, por isso as entende e depois as controla. Portanto, ela terá menos consideração e respeito pelas normas sociais, além de um comportamento inadequado com os outros. Não sabendo identificar e codificar as emoções o indivíduo, quando será adulto, poderá desenvolver dificuldades nos relacionamentos devido à falta de empatia.

Muitas vezes distraídos ou focados apenas naquilo em que querem acreditar, os adultos tendem a ignorar todos esses sinais, supondo que seus filhos sejam serenos, saudáveis e felizes. Às vezes, basta parar por um momento para “observar e não apenas ver” para perceber um problema e resolvê-lo com comunicação e amor.

Partilha com as tuas amigas:

Mais dicas:

Comentários: