Insónias – Se sofre deste mal, este artigo é para si! Saiba tudo sobre a importância do sono nas nossas vidas!

Dormir é um ato em que a mente se desliga do que a rodeia, permitindo que o corpo descanse e dando lugar ao sonho e à consequente reorganização da estrutura emocional.

O sono, como mecanismo que desliga a consciência, torna o indivíduo vulnerável aos perigos. Como tal, a qualidade do sono depende intrinsecamente da noção de perigo sentida. Quando existe perigo, os animais, incluindo os humanos, ficam sempre em alerta com medo que o perigo traga dor ou desconforto. E, como se sabe, a sensação de medo provoca um estado de Ansiedade focado nos riscos e ameaças possíveis, preparando para reagir à agressão.

Sempre que vivemos situações quotidianas que nos fazem sentir sensações de insegurança, entramos em estados de Ansiedade. Muitas vezes, sentimos que não estamos preparados para o dia seguinte, temos medo de falhar tarefas que devemos realizar, problemas que não sabemos como resolver, assuntos que nos magoaram e que devemos repensá-los, até excesso de motivação para viver experiências futuras, podem criar em nós um estado de vigilância que nos perturba a nossa capacidade de nos desligarmos do presente e de adormecer.

Dormir é uma necessidade básica e sempre acabamos por dormir, mas o excesso de ansiedade provoca um sono quase consciente, onde nos recordamos dos sonhos que temos, parecendo estar sempre alerta para os barulhos e sensações que nos rodeiam. Este tipo de sono não nos ajuda a recuperar totalmente a nossa energia. Trata-se de Insónias relativas, pois são dificuldades em dormir, embora durmamos, provocadas pela experiências do quotidiano que nos preocupam e que provocam um estado permanente de pensamento e vigilância.

CAUSAS MAIS FREQUENTES QUE CAUSAM INSÓNIAS LIGEIRAS A MODERADAS:

Problemas ligeiros do dia a dia ainda por resolver que provocam preocupação.
Problemas graves do dia a dia para os quais não se tem solução e cujos riscos sejam elevados.
Medos causadores da Ansiedade generalizada, como medo de falhar.

Outro tipo de Insónias também nos podem perturbar: as Insónias Absolutas, em que de facto não dormimos, nem descansamos. Quando alguém, ao adormecer ou enquanto dorme, tem um Ataque de Pânico, uma dor extrema ou outro problema tão difícil de suportar, e que sente estar em perigo de vida, a mente regista essa experiência como sendo uma experiência traumática a evitar e, como consequência, vai evitar dormir, criando uma Ansiedade extrema e resistência ao sono, provocando as Insónias absolutas.

TOME NOTA: Estes são alguns comportamentos que deve reavaliar para evitar situações de insónia:

– Pratique exercício mas não à noite.

Recomenda-se a prática de exercício até três a quatro horas antes de se deitar, pois a atividade física «eleva a temperatura corporal e atrasa a descida da temperatura fisiológica que acompanha a sonolência e consequente sono». Deve, contudo, exercitar-se regularmente, «pelo menos 20 minutos diários», para ajudar a aliviar parte da tensão acumulada ao longo do dia.

– Faça o balanço do dia.

Antes de se ir deitar, faça uma revisão do seu dia para que as preocupações não o impeçam de adormecer e elabore uma lista de tarefas que o ajudem a preparar o dia seguinte. O objetivo principal é conseguir desligar-se progressivamente das preocupações até um estado de total relaxamento na altura em que for para a cama.

– Envolva-se em atividades relaxantes.

Um banho quente antes de dormir pode mesmo ajudar a relaxar.Leia um livro, oiça música, faça exercícios de respiração ou yoga.

– Crie rotinas de sono.

Tente levantar-se à mesma hora todos os dias, independentemente do que dormiu. A restrição das horas de sono pode ajudar a dormir melhor na noite seguinte, por isso não tente compensar o tempo que não dormiu ficando mais horas na cama. Também não faça sestas, mas se as fizer, que sejam curtas, de 20 a 30 minutos e não depois das 15 horas.

– Evite estimulantes.

Sabia que os fumadores demoram mais tempo a adormecer e acordam com maior frequência durante a noite?
É aconselhado não fumar nas seis horas antes de se deitar. Deve também restringir, até cerca de duas horas antes de ir para a cama, a ingestão de bebidas ricas em cafeína como café, colas, chá preto ou guaraná.

– Jante cedo.

Não se deite com fome mas também não faça refeições pesadas antes de se deitar. Deve jantar suficientemente cedo para que não se deite no auge da digestão.

– Escolha os alimentos certos.

Se quiser cear, o leite é uma boa opção, na medida em que contém uma substância, o triptofano, que é indutora do sono. Se for acompanhado por uma fatia de pão ou outra opção rica em hidratos de carbono, melhor ainda, na medida em que estes ajudarão esta substância a ser absorvida, potenciando o seu efeito.

– Restrinja o uso do telemóvel.

Um estudo, que avaliou a estrutura do sono após três horas de uso diário do telemóvel, detetou uma diminuição das fases de sono lento e o aumento das frequências associadas à vigília, alterações que afetam o sono.

– Deite-se apenas quando tiver sono.

Obrigar-se a adormecer só irá aumentar a sua ansiedade e, como consequência, atrasar a hora a que conseguirá dormir.

– Verifique os seus medicamentos.

Algunsfármacos usados para curar «constipações, alergias,depressão, hipertensão e asma» podem interferir na qualidade do sono. Se estiver a tomar regularmente algum destes medicamentos, consulte o seu médico e verifiquese contêm estimulantes.

Partilha com as tuas amigas:

Mais dicas:

Comentários: